Notícias

Caixa reduz juros do financiamento imobiliário

Banco também anunciou elevação do teto de financiamento do imóvel usado. Para Secovi-SP, medidas impactam positivamente o mercado imobiliário.



A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira, 16/4, a redução dos juros do financiamento para a casa própria para operações realizadas pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo).

Esse foi o primeiro corte desde o mês de novembro de 2016. Com a alteração, a taxa mínima cai de 10,25% para 9% ao ano no caso de imóveis enquadrados no SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e de 11,25% para 10% ao ano para aqueles dentro do SFI (Sistema Financeiro Imobiliário).



A título de exemplo, em simulação para aquisição de imóvel novo de R$ 250 mil, com 80% financiado, a queda da taxa de juros de 10,25% para 9% representa, em 20 anos, uma diferença de R$ 25,1 mil de juros no bolso do comprador. Adiciona-se, ainda, o fato de que a diferença entre a prestação inicial e a renda exigida do tomador do financiamento cai mais de 8%.

"Tendo em vista que o mercado imobiliário, em muitas cidades como São Paulo, já iniciou seu processo de retomada, essa medida potencializa o círculo virtuoso da recuperação do setor", diz Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Além disso, o banco comunicou que elevou de 50% para 70% o teto de financiamento de imóveis usados, retornando ao antigo patamar que vigorou até setembro de 2017.



Para o Secovi-SP, quando o teto para financiamento do imóvel usado aumenta, automaticamente, mais pessoas são incluídas no mercado imobiliário, pois a quantia de dinheiro que o adquirente precisará para dar a entrada será menor. 



Há, também, o fato de que muitas pessoas precisam vender seu imóvel usado para adquirir um novo. Com essa venda facilitada pelas novas condições de financiamento, o setor de imóveis novos também é impactado.

Para os imóveis do mercado primário, o teto de financiamento permanece em 80%.

Ainda segundo a Caixa, os recursos disponíveis para o crédito habitacional neste ano são de R$ 82,1 bilhões. 



Fonte: Globo



Voltar