Notícias

Caixa reduz juro para compra de imóvel de até R$ 1,5 milhão

O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Souza, disse que a mudança passa a valer no dia 24 de setembro



SÃO PAULO - A Caixa Econômica Federal anunciou nesta sexta-feira (14) que a partir do dia 24 de setembro irá reduzir para 8,75% as taxas de juros do crédito imobiliário para aquisição de imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) com valor de até R$ 1,5 milhão. "A taxa de juros está baixando para acompanhar a Selic é isso é fundamental para o crescimento do setor", disse o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, durante o Fórum Brasileiro das Incorporadoras, organizado pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias). Até o dia 24, a taxa permanece nos atuais 9,5% ao ano.



No final de julho, o Conselho Monetário Nacional (CMN) havia anunciado o aumento para R$ 1,5 milhão do valor dos imóveis que poderão ser comprados através do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Antes, o valor era de R$ 950 mil.



Com a medida, que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2019, o Sistema de Habitação oferecerá juros mais baixos (limitados a até 12% ao ano mais Taxa Referencial) e o cliente poderá sacar o dinheiro do FGTS para comprar uma nova casa.



Outras mudanças anunciadas pelo CMN em julho



No nal de julho no CMN também anunciou que os bancos não terão mais que destinar 80% dos recursos da caderneta de poupança a operações contratadas pelo SFH, ou seja, o montante destinado pelos bancos para nanciamento imobiliário poderá ser utilizado em imóveis de qualquer valor, com taxas pactuadas entre o mutuário e a instituição nanceira, e indexados a qualquer índice econômico.



Além disso, os bancos terão incentivos para nanciar imóveis de até R$ 500 mil, como um benefício no cálculo do cumprimento da exigência de direcionamento de recursos para o crédito imobiliário.



O CMN também alterou a forma de checar o cumprimento da regra que obriga os bancos a direcionarem 65% dos depósitos da poupança para o crédito imobiliário. Antes, os bancos podiam utilizar a aquisição de títulos de nanciamento do setor, como Certicados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e Letras Imobiliárias. Agora, a exigência será cumprida apenas com operações para aquisição, construção, reforma e ampliação de imóveis residenciais. De acordo com o Banco Central, a medida deve injetar R$ 80 bilhões no setor em um período de seis anos.



Fonte: Infomoney



Voltar